Muitas vezes atiramo-nos de corpo e alma às obras materiais e quase nos esquecemos de nós próprios. Mas não deve ser assim: primeiro devemos ser santos, depois missionários; de contrário, não seremos nem uma coisa nem outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *