Os líderes da Bósnia-Herzegovina chegaram a acordo em relação a reformas constitucionais com vista a curar as feridas deixadas pelo conflito étnico, preparando a sua possível entrada na União Europeia.
Os líderes da Bósnia-Herzegovina chegaram a acordo em relação a reformas constitucionais com vista a curar as feridas deixadas pelo conflito étnico, preparando a sua possível entrada na União Europeia. Enquanto comemoravam os 10 anos do acordo de Dayton, os líderes muçulmanos, sérbios e croatas chegaram a um novo acordo. a presidência tripartida vai ser substituída por uma única entidade. É uma reforma fundamental, com o objectivo de criar unidade nacional.
O acordo de Dayton, assinado em 1995, permitiu que cada comunidade (sérbia, croata e muçulmana ) controla diferente áreas de governo. Foi criado um sector muçulmano e croata e um sector sérbio, a presidência é rotativa entre representantes das três comunidades, mudando cada oito meses.
Os líderes bósnios disseram pretender implementar a reforma constitucional até Março do próximo ano, pelo menos seis meses antes das eleições previstas para Novembro 2006. a iniciativa para criar uma única presidência vem no seguimento dos esforços feitos no início deste ano para unificar a polícia e as forças militares. Estas reformas são encaradas como passos essenciais para quem pretende ser membro da União Europeia e da Nato (Organização do Tratado do atlântico Norte).
Foram reiterados também os esforços para capturar os antigos líderes que cometeram crimes de guerra, Radovan Karadzic e Ratko Mladic. a secretária de estado dos Estados Unidos, Condolezza Rice, coloca a captura destes dois criminosos de guerra como condição essencial para uma futura admissão da Bósnia na Nato. a posição da américa é clara e sem possibilidade de negociação: cada país das Balcãs tem que capturar os seus criminosos de guerra ou não tem futuro na Nato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *