a comunidade cristã de Sangla Hill sente que o ataque de que foi vítima não recebe a devida cobertura dos meios de comunicação. Exigem agora a preseça no local do presidente ou do primeiro-ministro.
a comunidade cristã de Sangla Hill sente que o ataque de que foi vítima não recebe a devida cobertura dos meios de comunicação. Exigem agora a preseça no local do presidente ou do primeiro-ministro. O padre Samson Dilawar, pároco de Sangla Hill, falou à asiaNews da indiferença dos médios de comunicação paquistaneses relativamente ao ataque que a sua comunidade sofreu. Igrejas, conventos e escolas – católicos e protestantes – foram atacados por umas duas mil pessoas, alegadamente motivadas por alegadas acusações de blasfémia contra um cristão local.
Pedimos ao governo para pôr termo à perseguição contra Yousaf Masih, acusado de blasfémia, porque é claro que esta acusação foi motivada por uma discussão sobre dinheiro. Saleem e Benedict masih, irmãos mais novos de Yousaf, disseram à agência asiaNews: O nosso irmão não tem nada que ver com blasfémia, ele está inocente; é só uma questão de dinheiro. Os muçulmanos pilharam as nossas casas e antes da captura de Yousaf fomos torturados e humilhados na prisão. Yousaf tem 50 anos, está casado e tem quatro filhos.
Estes ataques são o trabalho de militantes bem equipados – não uma multidão furiosa – que operam com a cumplicidade da polícia local, acusam os dois irmãos.
O pároco considera que a comunidade sofreu uma terrível tragédia que os meios de comunicação não cobriram, como se nada tivesse acontecido. Não vamos reconstruir ou limpar as nossas igrejas, conventos ou escolas que foram atacados, até que o primeiro-ministro ou o presidente do paquistão venham em pessoa ver a tragédia e o que se perdeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *