Um dia um padre, que ia iniciar o cargo de confessor num convento, pediu-me conselho sobre o modo como se havia de comportar. Respondi-lhe: Seja breve; o confessionário não é um púlpito; ali o padre é mestre, não pregador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *