O testemunho de Timor encerrou o espaço dedicado às vozes migrantes depois de África, dos países do Leste da Europa e do Brasil.
O testemunho de Timor encerrou o espaço dedicado às vozes migrantes depois de África, dos países do Leste da Europa e do Brasil. Este povo não perdeu a fé, a esperança e a coragem, apesar de ter vivido situações difíceis, frisou uma das religiosas, Elisa Raposo, que participou no Vozes Migrantes de Timor, ontem.
Da comunidade mais pequena, residente em Portugal veio um testemunho de fé. Um povo de maioria católica, 98 por cento, referiu um dos elementos da comunidade residente em Portugal.
O testemunho dado pela comunidade timorense a residir em Portugal deu a conhecer aos participantes alguns dos sons de Timor, o país que viu reconhecida a sua independência em 2002.
Na dança das velas, apresentada, foram sendo formadas as letras que compõem o nome do país Timor, pelo grupo Sementes de Timor .
a procura de uma vida melhor fê-los vir para Portugal. No entanto, nem tudo são rosas . Para além das diferenças culturais e da dificuldade em encontrar emprego, os timorenses são povos do Hemisfério Sul, a diferença climatérica tem efeitos sobre a saúde condicionando a actividade diária nos primeiros tempos. Outra dificuldade é a língua, sobretudo, para a geração depois de 75 que nunca teve a felicidade de aprender a língua portuguesa – disse um dos elementos da comunidade timorense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *