analistas acreditam que a atitude unida da polícia, governo e líderes comunitários depois das bombas que explodiram no Metro de Londres limitou a agressão posterior contra os muçulmanos.
analistas acreditam que a atitude unida da polícia, governo e líderes comunitários depois das bombas que explodiram no Metro de Londres limitou a agressão posterior contra os muçulmanos. Os crimes religiosos motivados pelo ódio aumentaram depois dos ataques de sete de Julho, segundo o relatório do Centro Europeu de Observação do Racismo (CEOR). Mas esse aumento foi temporário e já diminuiu.
Segundo o relatório, os ataques levaram a um debate público alargado sobre modos de construir pontes entre as comunidades. as conclusões do CEOR são apresentadas ao parlamento europeu a 10 de Novembro.
Beate Winkler, directora do CEOR, disse que os ataques em Londres fizeram com que os muçulmanos britânicos se sentissem vulneráveis. a forte atitude tomada pelos ministros, pela polícia e pelos líderes comunitários, tanto na condenação dos ataques como na insistência de que qualquer acto contra a comunidade muçulmana seria punido com firmeza, teve um bom resultado, disse.
O relatório também chegou à conclusão de que outros governos europeus ajudaram a prevenir um ataque geral contra os muçulmanos ao fazer uma distinção muito clara entre as acções dos bombistas e a fé muçulmana.
O relatório apresenta como muito positivas outras iniciativas tomadas por países europeus para ajudar a combater os preconceitos contra os muçulmanos:
– Áustria: conferência europeia de imanes planeada para Janeiro de 2006, para centrar-se no fundamentalismo e no terrorismo.
– Dinamarca: O primeiro-ministro encontrou-se com 19 representantes da comunidade muçulmana para discutir a integração. a comunidade islâmica realizou uma conferência contra o terrorismo.
– alemanha: Líderes muçulmanos pediram um debate dentro da comunidade sobre o perigo de más interpretações do Corão. Também apelaram a uma política governamental constante quanto aos muçulmanos, sugerindo visitas às mesquitas para melhorar as relações. a delegação de Berlim para a protecção da constituição tem planos para instalar uma linha de telefone confidencial onde pode ser dada informção sobre terrorismo ou actividades extremistas em árabe ou turco.
– Espanha: a 15 de Julho, as nações Unidas adoptaram uma proposta espanhola para criar a aliança de Civilizações entre os países ocidentais e o mundo árabe.
O verdadeiro teste será que estas iniciativas positivas tenham seguimento e melhorem a coesão comunitária a longo prazo, acrescentou Winkler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *