Um mês depois do devastador terramoto as agências humanitárias enfrentam uma crise financeira ao mesmo tempo que o Inverno aumenta a ameaça de morte e doença que paira sobre a cabeça dos sobreviventes.
Um mês depois do devastador terramoto as agências humanitárias enfrentam uma crise financeira ao mesmo tempo que o Inverno aumenta a ameaça de morte e doença que paira sobre a cabeça dos sobreviventes. as Nações Unidas (ONU) estão a fazer todos os esforços para reunir cerca de 500 milhões de euros para um programa de ajuda às vítimas do terramoto. até agora só se reuniram 140 milhões de euros, apesar dos avisos quanto ao perigo de um segundo desastre humanitário se não se acelera a chegada de abrigo, alimentos e ajuda médica.
Os trabalhadores humanitários no terreno enfrentam um pesadelo logístico, com inúmeras localidades sem acesso devido a deslizamentos de terra e á destruição das vias e a falta de dinheiro para manter a frota de helicópteros de transporte no ar. Cada dia o tempo está mais frio, prevendo-se chuva e neve nos próximos dias.
Nunca vi uma situação em que se tivesse que fazer tanto em tão pouco tempo, disse Pat Duggan, chefe dos escritórios da ONU para a coordenação de assuntos humanitários em Muzaffarabad, a arruinada capital do Paquistão. Vai ser uma grande tarefa para todos – o governo do Paquistão e a comunidade internacional. a única coisa que podemos fazer é meter mãos à obra, disse ela.
abrigo, alimentação e cuidados médicos são as prioridades. a Organização Internacional para as Migrações (OIM) está a fazer esforços para assegurar que os sobreviventes têm pelo menos algum tipo de teto durante o Inverno. Cerca de meio milhão de pessoas ainda não tem qualquer tipo de abrigo. a comunidade internacional já forneceu 130 mil tendas, o governo paquistanês 240 mil e umas 175 mil estão encomendadas.
Segundo as nossas estimativas cerca de 60 por cento do que é preciso já foi distribuído ou está em distribuição temos que continuar a trabalhar para conseguir os outros 40 por cento, disse anneka Timonen, representante da OIM em Muzaffarabad.
Há uma grande preocupação quanto à qualidade das tendas ainda prometidas, acredita-se que muitas destas sejam tendas de Verão, que muito provavelmente não vão aguentar a neve do Inverno.
a OIM e outras organizações lançaram a operação Corrida do Inverno para entregar 10 mil kits para reparar abrigos. Estas comunidades sabem como construir os seus abrigos. Viveram toda a sua vida nessas montanhas, disse Timonen.
Em toda a zona do desastre as doenças estão em aumento. O ministério da saúde diz que há cerca de nove mil casos de infecções respiratórias agudas, incluindo pneumonia, mais de seis mil casos de diarreia, 1. 130 casos de desinteria e 139 casos de tétano, dos quais 41 morreram. a UNICEF (agência da ONU para a educação e as crianças) reportou várias mortes por sarampo e estão a vacinar centenas de milhares de crianças para evitar a sua propagação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *