Cardeal patriarca desafia cristãos a evangelizar. Basta “aprender a amar” ou seja “deixar-se amar”. José Policarpo exortou as mulheres a serem como Santa Teresinha, com um amor vivo pela Eucaristia.
Cardeal patriarca desafia cristãos a evangelizar. Basta “aprender a amar” ou seja “deixar-se amar”. José Policarpo exortou as mulheres a serem como Santa Teresinha, com um amor vivo pela Eucaristia. Para evangelizar é preciso aprender a amar, foi esta a mensagem deixada, hoje,6 de Novembro, pelo cardeal patriarca de Lisboa, José da Cruz Policarpo durante a homilia da celebração, perante as Relíquias de Santa Teresa de Lisieux e no início do Congresso Internacional para a Nova Evangelização que decorre em Lisboa ate 13 de Novembro.
Numa referência ao ano da Eucaristia e ao amor predilecto de Santa Teresinha do menino Jesus pela Eucaristia, o bispo de Lisboa assinalou que a evangelização é uma expressão da caridade, porque é sempre o anúncio desse amor infinito de Deus em Jesus Cristo e que só podem fazer esse anúncio aqueles que se deixaram devorar por esse amor. E isso pode acontecer na Eucaristia.
Evangelizar é afinal, entender que só o amor redentor de Jesus pode transformar os corações. Os frutos da evangelização não brotam da eficácia dos meios humanos, mas dessa fonte inesgotável de amor, que é o coração de Cristo.
Nesta tarefa da evangelização todos são chamados: crianças, mães de família, jovens, trabalhadores, presos, doentes, idosos. Para evangelizar, basta amar e que todos podem evangelizar, desde que aprendam a mergulhar na fonte do amor, frisou o patriarca.
É então, na eucaristia que o sacramento do amor é dado a todos os cristãos, num aprofundamento progressivo. aprender a amar é sempre partir do baptismo com que fomos redimidos, da confirmação, sacramento do Espírito com que fomos santificados, para mergulhar na Eucaristia, sacramento do amor. E para aprender a amar basta deixar-se amar.
O presidente da celebração, José da Cruz Policarpo deixou um desafio às mulheres. O de seguirem o exemplo de Santa Teresinha e de outras mulheres que souberam dar o seus testemunho de vida, com base na fé.
as mulheres podem ter um papel decisivo na evangelização, se forem mulheres eucarísticas, se escutarem o convite de amor que brota do coração de Cristo, assinalou. E – afiança – a Igreja precisa do vosso amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *