Um comandante militar da Nato restou importância ao receio de uma revolta talibã ou do al-Qaeda no afeganistão, afirmando que os narcóticos constituem a maior ameaça à democracia neste país.
Um comandante militar da Nato restou importância ao receio de uma revolta talibã ou do al-Qaeda no afeganistão, afirmando que os narcóticos constituem a maior ameaça à democracia neste país.
O General James Jones, dos marines norte-americanos, disse que o afeganistão é o maior fornecedor mundial de heroína, mas as tropas da Nato presentes no país, lideradas pelos Estados Unidos, ainda não decidiram como podem integrar o esforço de luta contra a produção e tráfico de droga.
Sejamos claros, a produção de droga é o principal problema que o afeganistão tem que enfrentar para o seu futuro não é a revolta talibã ou do al-Qaeda, disse o comandante supremo das forças da Nato na Europa aos jornalistas.
Tropas lideradas pelos Estados Unidos invadiram o afeganistão em 2001 para remover o governo talibã e destruir as bases do al-Qaeda nesse país, como retaliação pelos ataques de 11 de Setembro 2001 nos Estados Unidos. Já no próximo ano, tropas britânicas devem começar a controlar o sector sul do afeganistão, de acordo com o plano da Nato. Mas, Jones disse que um só país não pode enfrentar o desafio de apoiar o governo afegão na luta contra a droga.
Estas declarações foram feitas a 20 de Outubro, um dia depois do porta-voz do governo afegão ter dito em Kabul que um atirador talibã assassinou um governador distrital e o director de uma escola na província de Kandahar. Já no dia anterior dois soldados franceses das tropas de manutenção da paz, foram feridos quando uma bomba explodiu perto da estrada em que circulavam durante um operação de patrulha.
No entanto, Jones afirmou aos jornalistas que as drogas, segundo ele a fonte de metade da força económica do país, são o grande problema, e que o presidente afegão que liderar essa luta. O líder deve ser afegão, mas a comunidade internacional tem que apoiar esse esforço, disse. E esse esforço inclui a erradicação de cultivos, a substituição de cultivos e subsídios para ajudar essa substituição.
Jones disse também que a violência no país é provocada por vários grupos, incluindo traficantes de droga e elementos criminosos.
Embaixadores dos países da Nato visitaram recentemente o afeganistão e voltaram com uma nova consciência do problema, concluiu o comandante militar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *