Um ruandês a viver em Toronto foi acusado de crimes de guerra cometidos durante o genocídio do seu país natal.
Um ruandês a viver em Toronto foi acusado de crimes de guerra cometidos durante o genocídio do seu país natal. Desire Munyaneza, de 39 anos, compareceu num tribunalde Montreal, onde as acusações foram lidas. Incluem genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra,tudo relacionado com o genocídio de 1994.
Umas 800 mil pessoas da etnia Tutsi e moderados da etnia Hutu foram mortos por extremistas Hutu num dos mais horrendos massacres do século XX. Munyaneza vivia então na cidade ruandesa de Butare. É acusado de ter sido um dos combatentes da milícia que levaram a cabo o genocídio.
Jean-paul Nwinlinkwaya, membro da comunidade ruandesa no Canadá, perdeu o seu pai e outros membros da família no genocídio. Foi um momento irreal para mim e para os outros membros da comunidade ruandesa no Canadá, que há dez anos procuramos justiça, nunca pensámos que esse momentochegasse, disse à saída do tribunal de Montreal.
Munyaneza chegou ao Canadá em 1996. Pediu asilo político, mas o seu pedido foi recusado pelas autoridades da imigração canadianas. Quase ao mesmo tempo, a polícia lançou uma investigação à participação de Munyaneza em crimes de guerra, depois de denúncias feitas por membros da comunidade ruandesa.
Desde 2000 que a legislação canadiana contempla a obrigação de seguir as directivas do Tribunal Penal Internacional das Nações Unidas. É a primeira pessoa a ser condenada nos termos desta legislação no Canadá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *