Crianças etíopes chegam a ser vendidas por um euro para fazer trabalhos domésticos e prostituir-se, disse a Organização Internacional das Migrações.
Crianças etíopes chegam a ser vendidas por um euro para fazer trabalhos domésticos e prostituir-se, disse a Organização Internacional das Migrações. Umas 20 mil crianças, algumas de apenas 10 anos, são vendidas cada ano pelos seus pais e traficadas por negociantes sem escrúpulos que trabalham em cidades etíopes, acrescentou a Organização Internacional das Migrações (OIM). Os números foram anunciados ao mesmo tempo que o governo etíope, as Nações Unidas (ONU) e a OIM lançaram uma campanha para criar consciência do sofrimento que enfrentam as crianças neste país.
Com o nome de Campanha pelas Crianças Vulneráveis da Etiópia, a campanha encoraja os candidatos às eleições locais do início do próximo ano a colocar este assunto na sua agenda.
Grandes desportistas, incluindo o campeão olímpico etíope Kenenisa Bekele, juntaram-se à campanha para dar visibilidade à vulnerabilidade das crianças órfãs. Segundo as estimativas há 4,6 milhões de crianças órfãs na Etiópia, quase 13 por cento de todas as crianças deste país. Umas 200 mil crianças vivem nas ruas da capital, addis ababa.
Esta crise de vulnerabilidade não só priva as crianças dos seus direitos ao desenvolvimento humano, mas também aumenta a exigência sobre comunidades já empobrecidas , disse Bjorn Ljungqvist, director do Fundo para as Crianças da ONU na Etiópia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *