O padre jesuíta Paolo Dall”Oglio há 22 anos que tenta melhorar o entendimento entre a minoria cristã Síria e a maioria muçulmana. Um testemunho para o mês das missões.
O padre jesuíta Paolo Dall”Oglio há 22 anos que tenta melhorar o entendimento entre a minoria cristã Síria e a maioria muçulmana. Um testemunho para o mês das missões. alguns cristãos sentem-se perseguidos pelos árabes, disse o padre italiano à agência de notícias IRIN. Sentem a atracção do Ocidente e muitos emigram. Têm a tendência de copiar o ocidente em alguns aspectos da vida, acrescentou.
Mas Dall’Oglio, que estuda o Corão e celebra a missa em árabe disse que a aproximação à Europa e aos Estados Unidos não é a solução. Isso cria um grande fosso na sociedade local já que muitos muçulmanos reagem contra a ocidentalização disse. Muitos muçulmanos árabes sentem-se muito mal com o que vêm como uma agressão do ocidente com a sua pressão cultural e financeira e o seu poder estratégico. Por isso há uma situação de tensão.
Dall’Oglio e os seus colegas da comunidade religiosa de São Moisés o abissínio, em Deir Dar Musa, estão a tentar diminuir esse fosso. O mosteiro tem missa em árabe e a sua igreja tem tapetes, como uma mesquita, para que os fiéis se sentem, em vez dos tradicionais bancos da maior parte das igrejas católicas. Também participam em encontros de diálogo entre as religiões.
Não pensamos que a solução esteja em fechar-nos sobre nós próprios, disse Dall’Oglio. achamos que o mais importante é construir um lugar de encontro. Nós construímos pontes através de encontros em que os cristãos não se limitam a comunicar com os muçulmanos, mas também a receber comunicação deles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *