a popularidade do teste de despistagem do ví­rus da sida resultou em mais pacientes do que o país pode suportar, disse o laboratório Pfizer, uma das maiores empresas de medicamentos do mundo.
a popularidade do teste de despistagem do ví­rus da sida resultou em mais pacientes do que o país pode suportar, disse o laboratório Pfizer, uma das maiores empresas de medicamentos do mundo. O director-geral da Pfizer, Hank McKinnell disse à agência Reuters: Há quatro ou cinco anos o objectivo era testar o máximo de pessoas e encaminhá-las para aconselhamento e cuidados de saúde. Já ultrapassámos esse ponto. Os testes já são rotineiros no Uganda, mas isso criou um novo problema agora temos um número de pacientes acima das nossas possibilidades.
No lançamento de uma nova clínica especializada no tratamento da sida na cidade ugandesa de Mbarara, fundada em parte pela Pfizer, McKinnel disse ter esperança de que o novo centro ajude a aliviar o peso dos pacientes, oferecendo tratamento a mais de mil pacientes.
O Uganda foi visto como o epicentro da pandemia provocada pelo vírus da sida no continente africano, mas uma campanha de educação governamental que promoveu os testes de despistagem do vírus baixou a taxa de infecção dos trinta para os seis por cento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *