a associação humanitária ‘Solidarités’ lançou na quarta-feira 12 de Outubro uma rede de distribuição de água potável para 170 mil pessoas na província do Kivu na República Democrática do Congo.
a associação humanitária ‘Solidarités’ lançou na quarta-feira 12 de Outubro uma rede de distribuição de água potável para 170 mil pessoas na província do Kivu na República Democrática do Congo. a delegação da Solidarités, liderada pelo director-geral alain Boinet, entregou o projecto às autoridades locais durante a cerimónia que decorreram na cidade de Beni. Membros do governo do congolês e representantes dos parceiros de desenvolvimento do pais estiveram presentes.
O projecto é de vital importância para o Beni, disse a Solidarités. a população de Beni aumentou de 72 291 em 1998 para 176 mil em 2002 e as autoridades revelaram-se incapazes de disponibilizar água potável para todos os residentes.
Em 2003 começou o trabalho no projecto. Uma equipa de engenheiros hidráulicos da Solidarités recebeu o apoio voluntário de especialistas da aquassitance, uma organização não-governamental especializada no fornecimento de água, no tratamento de lixos e no desenvolvimento; e teve a ajuda de um escritório de desenho na concepção do projecto.
O princípio é muito fácil: o projecto é global, novo, de manutenção pouco custosa e capaz de responder às necessidades da população de Beni até 2010, disse Solidarités. Foi concretizado com a cooperação das autoridades administrativas de Beni, da REGIDESO [empresa nacional das águas], do governador da província e da população.
O projecto contou com o financiamento da União Europeia e custou 2,5 milhões de euros. Segundo a Solidarités, o projecto faz parte do esquema de ajuda humanitária e tem como objectivo dar resposta à necessidade urgente de água potável de modo a reduzir a incidência de doenças como a diarreia, a malária e outras doenças causadas por água em más condições.
O projecto faz captação de água em dois rios, a qual passa por uma estação de tratamento e entra depois na rede de distribuição usando a força da gravidade para viajar ao longo dos 50 quilómetros de canais. O projecto visa fornecer até 10 litros de água por dia para cada habitante de Beni para os próximos 10 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *