O Quénia está vivendo um período político inflamado, mas o pior são as tragédias humanas causadas pelas mão do homem.
O Quénia está vivendo um período político inflamado, mas o pior são as tragédias humanas causadas pelas mão do homem. a luta política pelo sim e pelo não à nova Constituição mantém-se acérrima e vai causando alguns dissabores até ao ponto de dois membros do Parlamento se encontrarem presos, mas hoje quero informar os leitores não sobre política, mas sobre uma enorme tragédia humana.
Escrevi há poucas semanas um pequeno texto em que falava dos três bairros da lata – favelas – da nossa Paróquia-Santuário da Consolata em Nairobi. O maior desses bairros chama-se Deep Sea (Mar alto), embora não tenha água. É de facto um mar de gente, mais de seis mil pessoas num espaço de dez mil metros quadrados de terreno.
O terreno em que esse bairro se encontra – muito perto da zona rica de Westlands – é contestado por vários indivíduos embora esteja habitado por famílias pobres desde há mais de 30 anos.
Na sexta feira dia 23 às onze da noite um buldozer entrou em Deep Sea e começou a destruir habitações. Mias de 100 famílias ficaram desalojadas em poucas horas e às outras 800 foi dado um prazo de poucos dias para desfazerem as barracas ou verem-nas destruídas.
Eu nunca vi tragédia assim.
Para já foi-nos possível fazer suspender a demolição e começar a reconstrução. Não é que nos agrade ver as pessoas naquela miséria, mas para eles não há alternativa; ou ali ou na estrada.
Ninguém sabe no entanto se numa outra sexta feira à noite não vai voltar o filho das trevas com o seu instrumento de morte. É bem verdade que a quem não tem até mesmo o que tem lhe será tirado.
Perguntareis talvez porquê Sexta Feira e não um outro dia? a razão é simples: ao Sábado e ao Domingo os tribunais e os homens políticos e todas as autoridades tornam-se inacessíveis e por isso é possível fazer grandes estragos antes que alguém em autoridade lhes ponha cobro.
a nossa paróquia da Consolata está agora a distribuir pão e leite a mais de 200 crianças e a algumas velhinhas enquanto se vai tentando voltar à normalidade. Estamos também tentando reconstruir algumas barracas na esperança que não voltem a ser demolidas.
Precisamos da vossa solidariedade e especialmente que intercedais por nós ao Deus que é amor, neste início do mês missionário. Se por aí tivésseis pão e leite em excesso ou maneira de o tornar realidade, não vos esqueçais de Deep Sea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *