Os professores e administradores das escolas primárias do Burundi enfrentaram problemas logí­sticos na passada segunda-feira com centenas de milhar a apresentar-se para matricular-se.
Os professores e administradores das escolas primárias do Burundi enfrentaram problemas logí­sticos na passada segunda-feira com centenas de milhar a apresentar-se para matricular-se. O presidente prometeu que a partir de agora a educação vai ser gratuita, o que levou a um enorme aumento do número de crianças que se apresentaram para se matricularem pela primeira vez. Não seremos capazes de responder a este aumento, disse Donat Hatungimana, um professor de uma escola primária da capital Bujumbura.
Em 2004 já estavam 150 crianças na turma deste professor. Na passada quinta-feira, o novo ministro da educação e cultura, Saidi Kibeiya, disse que meio milhão de alunos pode matricular-se neste primeiro ano de educação primária grátis. O ministro calcula que serão necessárias 2. 400 novas salas de aulas e 2. 400 novos professores.
Durante o discurso de inauguração da sua presidência, Pierre Nkurunziza, anunciou que durante o seu mandato a educação primária seria gratuita. O porta-voz do fundo para as crianças das Nações Unidas (UNICEF) no Burundi, Barbara Jamar, disse à agência de notícias IRIN, que junto com os seus parceiros planeiam aumentar a sua contribuição para a educação, ajudando os pais a pagar pelos uniformes, livros e outros materiais escolares. actualmente a UNICEF dá 4. 2 milhões de dólares para a educação no Burundi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *