Num clima de alguma apreensão e incerteza, vai realizar-se a festa da homologação Raposa Serra do Sol, o reconhecimento oficial do direito à terra que os Índios desta região desde há séculos habitam.
Num clima de alguma apreensão e incerteza, vai realizar-se a festa da homologação Raposa Serra do Sol, o reconhecimento oficial do direito à terra que os Índios desta região desde há séculos habitam. Os festejos iniciam a 20 de Setembro em Maturuca, prolongando-se até 25 na região das Serras. a 26 e 27 continuam em Surumu, na comunidade Canta Galo; a 29 e 30 na região do Baixo Cotingo, na comunidade Camará; e a 2 e 3 de Outubro na região da Raposa, na comunidade Bismark.
Com cantos, danças e muita animação os índios Ingarikó, Macuxi, Taurepang,Patamona e Wapichanarecordam mais de três décadas de luta para recuperar as terras que lhes foram usurpadas, assim como pelo reconhecimento do direito de posse das mesmas. Foram convidados os líderes de vários povos indígenas do Brasil e do estrangeiro.
Para prevenir eventuais desordens da parte de grupos contrários à homologação, as autoridades afirmam que vão tomar medidas a fim de garantir a segurança no local dos festejos e no trajecto que de Boa Vista vai a Maturuca.
Recorde-se que nas primeiras horas da madrugada de 17 de Setembro centena e meia de pessoas assaltaram e destruíram a escola indígena de Surumu. Um acto tão bárbaro, que destruiu as instalações da escola e da missão, já mereceu o repúdio de várias entidades, designadamente com o comunicado da própria administração da escola.
Foto: Casa das irmãs saqueada e queimada
De Boa Vista, Roraima:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *