Um trabalhador chinês que foi insultado ao tentar reclamar salários, enlouqueceu e matou quatro pessoas, despertando o país para as dificuldades que enfrentam milhões de migrantes.
Um trabalhador chinês que foi insultado ao tentar reclamar salários, enlouqueceu e matou quatro pessoas, despertando o país para as dificuldades que enfrentam milhões de migrantes. Wang Binyu, da subdesenvolvida província chinesa de Gansu, cometeu esta loucura depois de ser tratado como um cão pelos gestores, quando tentou que lhe pagassem o que lhe deviam, pôde ler-se a 15 de Setembro no jornal Beijing Youth Daily.
Os seus empregadores deviam-lhe cinco mil yuan (aproximadamente 505 euros) e ofereceram-lhe 50 yuan (cinco euros). Wang já tinha recorrido ao departamento do trabalho local e aos tribunais sem qualquer resultado.
Matou os quatro e feriu uma quinta pessoa, depois entregou-se à polícia. as vítimas incluem gestores e membros da família. as mortes ocorreram em Maio, Wang foi sentenciado em Junho, mas só agora o caso chegou à imprensa nacional chinesa.
agora acendeu a discussão em toda a China, onde 120 milhões de trabalhadores na construção e indústria são migrantes que vivem longe das suas aldeias e famílias, sendo especialmente susceptíveis de abuso.
Não podia aguentar mais, Wang é citado pela agência de notícias chinesa Xinhua. Já tinha tido o suficiente, por isso agarrei na faca e apunhalei as cinco pessoas. Para mim a prisão é melhor que a vida no local de construção civil. Sabem quantos trabalhadores migrantes morrem durante a construção dos urbanística altos? Só quero que não olhem com desprezo para os trabalhadores migrantes. a sociedade devia preocupar-se mais.
alguns migrantes, desesperados por não ser pagos, têm cometido suicido nos últimos anos, às vezes atirando-se dos urbanística que ajudavam a construir, como forma de chamar a atenção para a sua situação.
No ano passado, segundo a Xinhua cerca de 20 mil milhões de yuan ficaram por pagar aos trabalhadores migrantes. Deviam ser punidos os patrões, os gestores e responsáveis legais que abusam dos trabalhadores migrantes e ignoram os seus direitos, pode ler-se no Beijing Youth Daily.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *