Pelo menos 58 pessoas morreram afogadas e outras 150 estão desaparecidas quando homens armados tentavam fazê-las entrar ilegalmente no Iémen. a quilómetros da costa foram atirados ao mar.
Pelo menos 58 pessoas morreram afogadas e outras 150 estão desaparecidas quando homens armados tentavam fazê-las entrar ilegalmente no Iémen. a quilómetros da costa foram atirados ao mar. Os dois barcos saíram de uma aldeia costeira a 25 quilómetros do porto somali de Bossaso, segundo a imprensa local. Segundo a mesma fonte, os barcos transportavam 250 pessoas, muitos deles eram mulheres e crianças.
O cônsul-geral somali no Iémen, Husayn Haji ahmad, disse à agência de noticias IRIN, que 37 pessoas foram recuperadas com vida. Segundo o cônsul, os contrabandistas armados, receosos de ser capturados pelas autoridades, obrigaram todos a saltar do barco a uns cinco quilómetros da costa.
Muitos dos que saltaram dos barcos nem sabiam nadar, disse ahmad. Pescadores locais resgataram 35 homens e duas mulheres, outros nadaram para a costa. alguns corpos já deram à costa e as operações de salvamento continuam, mas a esperança de encontrar mais sobrevivente é cada vez mais escassa.
Milhares de somalis perderam a sua vida procurando atravessar o Golfo de aden procurando melhores oportunidades económicas no Iémen e outros estados do Golfo.
Só nos últimos três anos estimamos que cerca de 2500 pessoas perderam a vida afogados tentando chegar ao Iémen e aos outros destinos do Golfo, disse ahmad. Só este ano este tipo de incidentes já reclamou 650 vidas, contando as deste último acidente.
O cônsul lançou o apelo à comunidade internacional para que ajude o povo somali para pôr fim a esta contínua tragédia e melhorar as condições de vida na Somália.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *