Depois da Jornada Mundial da Juventude, o Papa deu a primeira audiência em Roma, tendo destacado as possibilidades de encontro e diálogo com os judeus e os muçulmanos.
Depois da Jornada Mundial da Juventude, o Papa deu a primeira audiência em Roma, tendo destacado as possibilidades de encontro e diálogo com os judeus e os muçulmanos. a visita à Sinagoga de Colónia, o encontro com a comunidade muçulmana alemã e o sentimento de união entre os jovens católicos foram as principais emoções de Bento XVI durante a sua visita à alemanha, disse ele mesmo na audiência de hoje.
Com os irmãos judeus recordamos a Shoah (holocausto) e os 60 anos da libertação dos campos de concentração nazis, disse o pontífice. Recordou também que celebramos os 40 anos da declaração conciliar Nostra aestate, que inaugurou uma nova época de diálogo e de solidariedade espiritual entre judeus e cristãos, e um clima de estima pelas grandes tradições religiosas.
O Papa teve palavras especiais para o Islão, cujos seguidores adoram o único Deus e se referem ao patriarca abraão . E acrescentou: Quis encontrar-me com os representantes de algumas comunidades muçulmanas, a quem manifestei as esperanças e as preocupações do difícil momento histórico que estamos a viver, desejando que sejam erradicados o fanatismo e a violência, e que juntos possamos colaborar na defesa da dignidade.
OPontífice espera que o diálogo, como troca recíproca de dons, e não só de palavras, contribua para fazer crescer e amadurecer a sinfonia ordenada e harmónica que é a unidade católica. O Papa afirmou que a Jornada Mundial da Juventudefoi uma experiência ecuménica muito válida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *