Mais de 10 mil pessoas participaram no funeral do fundador da comunidade ecuménica de Taizé, irmão Roger Shutz, morto a 16 de agosto, durante a a oração de vésperas.
Mais de 10 mil pessoas participaram no funeral do fundador da comunidade ecuménica de Taizé, irmão Roger Shutz, morto a 16 de agosto, durante a a oração de vésperas. Presidiu à cerimónia, que durou cerca de duas horas,o cardeal Walter Kasper, presidente do Conselho Pontifício para a União dos Cristãos, na presença de numerosos representantes de várias Igrejas de Europa e de fiéis de todo o mundo. Uma grande parte dos presentes só pode seguir as cerimónias no exterior da igreja da Reconciliação, através de ecrãs gigantes.
Numa atmosfera densa e silenciosa, os 90 irmãos da comunidade colocaram-se ao longo da nave central da igreja, enquanto quatro deles transportavam o caixão de madeira simples. O sucessor do irmão Roger, irmão alois, tomou a palavra: Irmão Roger abriu um caminho e no-lo ensinou com uma coragem e entusiasmo excepcionais. Tinha no seu coração todos os homens, de todas as nações, em particular os jovens e as crianças. Nós queremos continuar a segui-lo.
Depois de recordar as circunstâncias da sua morte, continuou: Diante do mal, a bondade de coração é uma realidade vulnerável. Mas a vida doada de irmão Roger é uma garantia de que a paz de Deus terá a última palavra para cada uma e para cada um sobre a terra.
Num aceno ao gesto tresloucado da assassina, proferiu palavras de perdão: Deus de bondade, confiamos no teu perdão para Luminita Solcan, que num gesto doentio pôs termo à vida do nosso irmão Roger.com Cristo sobre a cruz, nós dizemos: Perdoa-lhe porque não sabe o que fez.
Irmão Roger foi sepultado no cemitério da aldeia de Taizé, perto de uma igreja românica onde a comunidade dos irmãos viveu nos primeiros anos da fundação, nos anos 40.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *