Segundo os peritos, o ví­rus da gripe das aves, detectado em Chelyabinsk, a barreira natural entre a Ásia e a Europa, poderá deslocar-se no Outono para a África e Europa.
Segundo os peritos, o ví­rus da gripe das aves, detectado em Chelyabinsk, a barreira natural entre a Ásia e a Europa, poderá deslocar-se no Outono para a África e Europa. O governo russo ordenou o abate imediato de 11 mil aves na zona da cadeia montanhosa dos Urais, depois de aí ter encontrado voláteis mortos infectados com o vírus H5N1, causador da gripe das aves. Segundo o ministério russo das emergências, o vírus foi individuado na cidade de Chelyabinsk, no centro da barreira natural entre Ásia e Europa, mas negou que haja casos de humanos infectados pela doença.
Em meados de Julho o vírus já tinha sido detectado em Novosibirsk, a mais de mil quilómetros de Chelyabinsk. Foram tomadas as medidas adequadas para que a gripe não se transmitisse aos animais domésticos e deste modoexcluir a possibilidade de contágio humano.
O vírusterá sido transportado por aves migradoras vindas da China e do sudoeste asiático, segundo o ministério da agricultura russo. Devido à migração de milhões de aves que procuram regiões menos frias, o vírus poderá chegar, nos próximos meses, à Europa, África e Médio Oriente, não existindomeios capazes de impedir as rotas migratórias.
Desde o aparecimento da epidemia, em 2003, já morreram 62 pessoas vítimas da gripe das aves: 43 do Vietname, 12 da Tailândia, 4 do Camboja e 3 da Indonésia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *