Preocupados com os frequentes acidentes nas minas de carvão, os chineses começaram a trasformar o gás metano em fonte de energia.
Preocupados com os frequentes acidentes nas minas de carvão, os chineses começaram a trasformar o gás metano em fonte de energia.

Segundo as estatí­sticas da administração Estatal de Segurança das Minas de Carvão, 80 por cento das mortes que têm lugar nas minas estão relacionadas com o gás metano. as perdas económicas devido a estes acidentes representam mais de 90 milhões de dólares por ano. Para diminuir os riscos e garantir maior segurança nas minas, o gás é bombeado para o exterior, causando poluição e, em caso de avaria, aumento do perigo de vida.
Os responsáveis das minas de Pansan fizeram uma inovação neste campo. Mandaram construir estruturas em forma de refúgio anti-bomba (bunker) por baixo do sistema de ventilação, ligadas a dois tanques, que, por sua vez, comunicam com uma estação eléctrica (inicialmente de 2. 400 kilowatts). é uma das poucas estações na China a usar o gás das minas de carvão como fonte de energia.
De acordo com os responsáveis, superou-se a dificuldade de extrair um produto tão perigoso em condições geológicas complicadas. O gás é transformado agora em combustível para umas 20 mil famílias que vivem na zona mineira, além de ser utilizado para produzir electricidade. Mas o mais importante, afirmam, é que melhorou a segurança dentro das minas. O número de mortes por milhão de toneladas de carvão agora passou a ser três vezes menor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *