Mesmo violando as convenções internacionais, as autoridades do Quirguistão pretendem deportar 15 refugiados do Uzbequistão.
Mesmo violando as convenções internacionais, as autoridades do Quirguistão pretendem deportar 15 refugiados do Uzbequistão. Refugiados no Quirguistão, 15 cidadãos do Uzbequistão correm o risco de serem repatriados, acusados de terem apoiado uma revolta no seu país, na cidade de andijan, no passado mês de Maio. Estão actualmente detidos na cidade de Osh, no sul do país. O procurador-geral quirguistanês afirma que tem “provas suficientes”, de que estes homens estão envolvidos em sérios crimes.
as Nações Unidas (ONU), assim como vários grupos internacionais de defesa dos direitos humanos, temem que os refugiados possam ser torturados, ou até executados, caso sejam deportados para o Uzbequistão.
Mais de 400 refugiados uzbequistaneses já foram deslocados do Quirguistão para a Roménia, onde permanecem provisoriamente até encontrarem asilo noutros países. Entre eles estão outras 14 pessoas que o Uzbequistão quer de volta, alegando que estiveram envolvidos na organização da revolta de andijan.
O procurador-geral afirmou a sua intenção de falar com o alto-comissário da ONU para os refugiados sobre o caso, pois alguns deles já tinham recebido o estatuto oficial de refugiados. O secretário-geral da ONU, Kofi annan, fez um apelo ao governo do Quirguistão para “respeitar as suas obrigações internacionais no tratamento dado aos que procuram asilo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *