Perante centenas de jovens presentes no Festival Jota, Manuel Felí­cio, bispo da Guarda, afirmou que o encontro com Deus provoca «grandes surpresas» e pediu missionários da «grande causa» porque «Deus abre sempre horizontes novos»
Perante centenas de jovens presentes no Festival Jota, Manuel Felí­cio, bispo da Guarda, afirmou que o encontro com Deus provoca «grandes surpresas» e pediu missionários da «grande causa» porque «Deus abre sempre horizontes novos»Quando Deus passa não deixa tudo igual, afirmou Manuel Felício, bispo da Guarda, no Santuário de Nossa Senhora das Dores. Para o prelado, o encontro com Deus provoca grandes surpresas e abana a vida e tudo fica diferente, apesar da sociedade andar preocupada com as coisas imediatas. as ações, disse Manuel Felício, devem ter raiz e fundamento.
O bispo da Guarda proferiu estas palavras no último domingo, 21 de julho, durante a celebração de encerramento do Festival Jota, que iniciou dia 19, e que reuniu centenas de participantes na localidade de Paul (Covilhã). Segundo a agência Ecclesia, Manuel Felício pediu para que os jovens sejam missionários da grande causa porque Deus abre sempre horizontes novos.
Esta foi a sexta edição do Festival Jota, um projeto da Igreja Católica criado para promover a música de inspiração cristã junto dos mais novos. Durante três dias, subiram ao palco principal do festival oito bandas portuguesas e quatro estrangeiras, vindas do Brasil, Itália, Espanha e Inglaterra.