a equipa da Universidade de Coimbra que está a estudar o papel do sistema imunitário na doença de Parkinson vai receber 192 mil euros da fundação criada pelo ator Michael J. Fox
a equipa da Universidade de Coimbra que está a estudar o papel do sistema imunitário na doença de Parkinson vai receber 192 mil euros da fundação criada pelo ator Michael J. Fox a fundação criada por Michael J. Fox, ator que se celebrizou pela participação na saga Regresso ao Futuro, atribuiu uma bolsa de 250 mil dólares (192 mil euros) aos investigadores da Universidade de Coimbra (UC) que estão a estudar as implicações das mutações genéticas na doença de Parkinson. ao entender como tudo se passa, podemos avançar para o desenvolvimento de terapias capazes de destruir os linfócitos desregulados, permitindo, assim, desacelerar a progressão da doença de Parkinson, explica Margarida Carneiro, coordenadora do estudo, numa nota da UC difundida pela agência Lusa. a intervenção do sistema imunitário, mais especificamente as implicações de mutações genéticas nos linfócitos B, na doença de Parkinson, está a ser estudada, pela primeira vez, pela equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), através do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC), da Faculdade de Medicina (FMUC) e do Centro Hospitalar e Universitário (CHUC). O potencial científico da investigação foi agora reconhecido pela fundação norte-americana, criada por Michael J. Fox, depois de lhe ter sido diagnosticada a doença. Em 13 anos, a instituição já distribuiu mais de 250 milhões de dólares (perto de 192 milhões de euros) em projetos de desenvolvimento para a cura da doença.