Luis Quinteiro Fiuza, bispo da diocese de Tui-Vigo, tem insistido que a luta pela justiça social é um exigência moral com que todos os cristãos se devem comprometer
Luis Quinteiro Fiuza, bispo da diocese de Tui-Vigo, tem insistido que a luta pela justiça social é um exigência moral com que todos os cristãos se devem comprometerDeus permanece fiel. Este será o tema central da peregrinação internacional aniversária ao Santuário de Fátima, nos dias 12 e 13 de julho, cujas celebrações serão presididas pelo bispo da diocese espanhola de Tui-Vigo, Luis Quinteiro Fiuza. O prelado faz parte das comissões episcopais da Doutrina da Fé e das Migrações, e foi nomeado responsável pelo apostolado do Mar. Numa das suas recentes intervenções, a propósito de uma campanha contra a fome realizada em Espanha, Fiuza recordou que o comprometimento na luta pela justiça social é uma verdadeira exigência moral para os cristãos. É verdade que a Igreja, enquanto instituição, não recebeu a missão de oferecer ao mundo um determinado projeto de vida social, político ou económico, mas não é menos importante a mensagem do Evangelho que anuncia e encerra forças que devem encarnar-se na vida dos homens e da socidade, afirmou. De acordo com o bispo de Tui-Vigo, os cristãos têm motivos especiais para ter esperança, pois sabem que a partir da encarnação do Verbo, Deus partilha a sua vida, convertendo a história do pecado em história da salvação. Para o prelado, apesar de cada católico ter as suas motivações especiais e um horizonte próprio, é dever de todos unirem-se aos homens de boa vontade, que lutam no mundo para construir uma sociedade mais justa, solidária e fraterna.