Presidente da União das Misericórdias Portuguesas foi homenageado pelos seus pares, numa cerimónia realizada em Fátima. O momento difícil por que passam estas instituições não foi esquecido
Presidente da União das Misericórdias Portuguesas foi homenageado pelos seus pares, numa cerimónia realizada em Fátima. O momento difícil por que passam estas instituições não foi esquecido Um grupo alargado de provedores das 400 Misericórdias portuguesas reuniu-se quinta-feira, 25 de junho, em Fátima, para homenagear o presidente do Secretariado Nacional da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), Manuel de Lemos. a ideia da homenagem surgiu na sequência da recente condecoração do dirigente, pelo Presidente da República, com a comenda de Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique. Queremos agradecer-lhe todo o trabalho com que sempre devotou boa parte da sua vida profissional às causas da saúde e da solidariedade em prol das misericórdias e dos mais desfavorecidos, afirmou Carla Pereira, provedora da Santa Casa da Misericórdia de aldeia Galega da Merceana, numa das várias intervenções de reconhecimento pelo legado deixado por Manuel de Lemos, que cumpre o seu terceiro e último mandato na UMP. Claramente emocionado com as palavras dos seus pares, segundo informações difundidas pelos serviços da UMP, o homenageado agradeceu a todos os que têm contribuído com trabalho, dedicação e espírito de serviço. E recordou que chegam cada vez mais pedidos de auxílio às Misericórdias Portuguesas. Hoje, o principal desafio das Misericórdias balança entre dois limites, que são cada vez mais estreitos: a sustentabilidade das instituições e a necessidade de dar resposta às pessoas. Um apelo repetido por alindo Maia, provedor da Misericórdia de Vila do Conde: O momento que as misericórdias atravessam é difícil porque temos de socorrer situações que o próprio governo não é capaz de socorrer. Temos de levar condições a quem não tem, porque o governo não tem dinheiro. Isto tudo para dizer que é fantástico o que estamos e conseguimos fazer, muito graças a Manuel Lemos. Muito obrigado por tudo o que tem feito pelas misericórdias, disse o responsável.