Os novos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatí­stica indicam que a população residente no nosso país manteve a tendência de queda em 2012. O saldo é de menos 55 mil pessoas
Os novos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatí­stica indicam que a população residente no nosso país manteve a tendência de queda em 2012. O saldo é de menos 55 mil pessoas Mais mortes, menos nascimentos e mais emigração. Os dados revelados esta segunda-feira, 17 de junho, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmam que Portugal continua a perder população. ao contrário do que aconteceu entre 1992 e 2010, em que se registou um crescimento contínuo, em 2012 a população residente no nosso país foi estimada em 10. 487. 289 pessoas, menos 55. 109 do que no ano anterior. Segundo informações do INE, citadas pela agência Lusa, o número de nascimentos desceu para 89. 841, situando-se pela primeira vez abaixo dos 90 mil nados vivos pela primeira vez desde que há registos. Por outro lado, a quantidade de óbitos aumentou em 4,6 por cento, relativamente a 2011. Já a esperança de vida continua a subir: 82,59 anos para as mulheres e 76,67 anos para os homens. Nos últimos dois anos, o país registou saldos migratórios negativos. E em 2012 também houve mais casos de emigração temporária – inferior a um ano. as alterações na dimensão e composição por sexos e idades da população residente em Portugal, em consequência da descida da natalidade, do aumento da longevidade e, mais recentemente, do impacto da emigração, revelam, para além do declínio populacional nos últimos dois anos, um continuado envelhecimento demográfico, refere o relatório do INE.