autoridades asseguram que o trabalho infantil está erradicado no nosso país, mas alertam para a possibilidade deste fenómeno recrusceder por causa da crise económica
autoridades asseguram que o trabalho infantil está erradicado no nosso país, mas alertam para a possibilidade deste fenómeno recrusceder por causa da crise económica Os resultados alcançados na última década no combate ao trabalho infantil em Portugal podem sofrer uma inversão, devido à crise económica e financeira que afeta o país, admitiu esta quarta-feira, 12 de junho, o inspetor-geral da autoridade para as Condições no Trabalho (aCT). Para Pedro Pimenta Braz, estão reunidas condições para que o fenómeno possa recrudescer e por isso o organismo que dirige está duplamente atento a possíveis sinais de mudança. até agora, a evolução registada neste domínio é francamente positiva. Se, em 1999, foram encontrados, nos locais de trabalho, 233 menores em situação ilícita, esse indicador é, nos últimos anos, praticamente inexpressivo, com a deteção de apenas um caso em 2012, revelou o responsável, em declarações à agência Lusa. Para Pedro Pimenta Braz, os resultados do combate ao trabalho infantil são mérito de toda a sociedade, desde o Estado, aos parceiros sociais, à escola, à comunicação social e à opinião pública. Foi toda esta rede de atores sociais, no desempenho das suas respetivas missões, que levaram a estes resultados, sustentou. apesar dos números atingidos, a conjuntura atual aconselha atenção redobrada ao fenómeno. Estamos numa situação de crise profunda e temos de estar duplamente atentos para que todo este combate desenvolvido até agora não tenha sido em vão, sublinhou o inspetor-geral da aCT.