Realizaram-se em Isiolo as solenes exéquias do bispo Locati, trucidado por mãos assassinas. ao mesmo tempo o Quénia está vivendo um momento de grande incerteza social e Política.
Realizaram-se em Isiolo as solenes exéquias do bispo Locati, trucidado por mãos assassinas. ao mesmo tempo o Quénia está vivendo um momento de grande incerteza social e Política. a Conferência Episcopal do Quénia em peso assim como o Presidente da República Mwai Kibaki, sacerdotes, religiosos e religiosas e também a classe Política, dirigiram-se ontem para Isiolo para as solenes exéquias do bispo Luigi Locati, assassinado na passada quinta-feira.
Embora a morte violenta deste bispo tenha coincidido com as lutas tribais entre Boranas e Gabras que deixaram uma centena de mortos no distrito de Marsabit a norte de Isiolo, parece que os dois acontecimentos não estão ligados entre si.
Isiolo encontra-se no centro de uma zona de grandes pressões tribais e religiosas. é o ponto de encontro entre muçulmanos de origem sómala, e cristãos. à volta de Isiolo vivem os Samburu, os Gabra, os Turkana, Rendille, e outras tribos. Quem passa a vida fazendo o bem, como a passou o bispo Locati, não pode evitar de tocar susceptibilidades. Descanse em paz.
Para já o governo reforçou a presença policial e militar nas zonas afectadas. Mas para já culpados não os há ou então falta a vontade Política para os encontrar. até de sacerdotes se fala.
Estas coisas na Europa podem parecer absurdas, mas por aqui ninguém se admira muito. Estamos habituados a mortes não explicadas. Para já o governo garante protecção e alimento aos desalojados. Eles porém não confiam muito em tal protecção. Morrer protegido é sempre morrer.
No meio de tudo isto há já dois dias que se verificam distúrbios em Nairobi por causa da promessa ainda não cumprida de dar ao país uma nova Constituição. Quem não conhecesse a paciência quase fatalista deste povo diria que estamos às portas duma revolução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *