antónio Vitalino, bispo de Beja, alerta para o aumento das desigualdades entre ricos e pobres e critica as empresas que estão a explorar os seus trabalhadores
antónio Vitalino, bispo de Beja, alerta para o aumento das desigualdades entre ricos e pobres e critica as empresas que estão a explorar os seus trabalhadoresO aumento das desigualdades sociais e o caso de trabalhadores vítimas de exploração nas empresas onde exercem as suas funções são motivo de preocupação para antónio Vitalino, bispo de Beja. alguns cidadãos são cada vez mais ricos e outros mais pobres, dependentes e entregues à proteção de organizações sociais, refere o prelado, na sua nota semanal.
De acordo com o bispo de Beja, algumas empresas exploram os trabalhadores e os cidadãos delas dependentes, sobretudo quando têm o monopólio de alguns serviços e bens. antónio Vitalino lamenta ainda que a Europa seja cada vez mais materialista e um continente em que crescem as desigualdades e o número de pobres.
No mesmo documento,enviado à agência Ecclesia, o prelado alude às legislações emanadas dos parlamentos nos estados democráticos, que por vezes cimentam desigualdades e atropelos à dignidade da pessoa humana e da família, célula da sociedade. Os princípios da dignidade da pessoa humana, da família como património da humanidade, do destino universal dos bens e do bem comum, para além de outros, não são tidos na devida conta quando se organizam as estruturas sociais e se legisla, considera.