O Pentecostes marca o ponto de viragem na caminhada dos discípulos . Os eventos que levaram à prisão e morte de Jesus causaram grande perturbação aos discípulos , que se sentiram «perdidos»
O Pentecostes marca o ponto de viragem na caminhada dos discípulos . Os eventos que levaram à prisão e morte de Jesus causaram grande perturbação aos discípulos , que se sentiram «perdidos» a ressurreição de Jesus demorou a ser entendida, mesmo após as várias aparições que Jesus fez aos seus discípulos, os quais continuam a sentir medo do futuro. Mas, ainda antes de subir para o Pai, Jesus tinha-lhes prometido que não os deixaria órfãos, que lhes iria enviar um companheiro. Pentecostes marca a chegada deste companheiro.começa o tempo da comunidade guiada pelo companheiro Espírito Santo. Os discípulos recebem de Jesus o Espírito Santo que agora os guiará no caminho iniciado por Jesus e que deverão continuar. O Espírito terá uma missão concreta junto do discípulos. Fixemo-nos sobre algumas facetas desta missão: Recordar. O Espírito Santo irá recordar aos discípulos a palavra que Jesus anunciara. É a esta palavra que os discípulos deverão ser fiéis, para continuarem a missão. Esquecer a palavra é esquecer Jesus. Muitas são as vezes em que os discípulos (tal como nós hoje) somos tentados a esquecer a palavra. Ensinar.com a partida de Jesus para o Pai, os discípulos ficam sem a presença física do mestre. Será o Espírito Santo a ensinar qual a intenção de Jesus ao proclamar certas palavras. É fácil procurar sentidos que sejam mais favoráveis às nossas intenções. Consolar. Haverá momentos na caminhada, em que os discípulos se sentirão sós, desencorajados, desanimados com a missão, mas poderão sempre contar com o Espírito que os consolará e lhes dará força e alegria para continuarem a missão, no meio de todas as tribulações; os discípulos sabem que não ficam abandonados, porque o companheiro consolador estará ali, ao lado, para os abraçar em todos os momentos. Enviar. O Espírito Santo é movimento. Vai sempre para fora, não deixará que os discípulos se fechem. Certamente que a tentação dos discípulos, após a partida de Jesus para o Pai, foi a de ficarem em Jerusalém, mas o Espírito enviou-os em missão. a partir desse dia, a Igreja passou a ser uma realidade missionária. Não mais poderá ficar fechada em si mesma, mas deverá sempre ir ao encontro dos outros. O Pentecostes recorda aos cristãos que estão reunidos em nome de Jesus, que devem ser testemunhas da morte e ressurreição de Jesus e que na sua missão podem contar com a presença de um advogado que sempre intercede junto do Pai.