Luigi Locati, bispo de Isiolo no norte do Quénia foi assassinado ontem à noite com dois tiros na cabeça. a falta de segurança é total. São já uns cem os mortos dos últimos dias.
Luigi Locati, bispo de Isiolo no norte do Quénia foi assassinado ontem à noite com dois tiros na cabeça. a falta de segurança é total. São já uns cem os mortos dos últimos dias. O norte do Quénia está vivendo um período de insegurança total e generalizada. a maior parte da centena de mortos dos últimos dias deve-se a rivalidades tribais entre os Borana e os Gabra que lutam pelo direito a pastorear os seus rebanhos livremente e especialmente pelo direito ao uso exclusivo das nascentes de água.
São já quase cem os mortos, muitos deles crianças de idade escolar. Uma autêntica guerra até à morte e uma vergonha nacional.
No meio de tudo isto o governo continua a clamar que não se aflijam, que a segurança está garantida e que os bandidos assassinos vão ser presos e condenados. Belas promessas. No entanto nem o presidente da república nem o ministro da segurança interna se dignaram visitar a zona onde tal tragédia, um autêntico genocídio, está acontecendo.
No meio de toda esta carnificina chega agora a notícia da morte do Bispo de Isiolo D. Luigi Locati. O fundamentalismo muçulmano tem-se manifestado em Isiolo desde há muito mas especialmente nos últimos meses. Duas escolas católicas foram invadidas e forçadas a fechar. a insistência do Bispo para as reabrir é talvez a razão da sua morte. Em tal caso este assassínio é um autêntico martí­rio fruto do ódio à fé católica.
Para os cinquenta mortos de Londres o mundo parou cheio de espanto e com razão. Mas quem é que pára e se revolta contra estas mortes inocentes? O mundo não e nem sequer os políticos responsáveis por esta terra de dores.
aos leitores de Fátima Missionária pedimos orações e que não se esqueçam de tornar conhecida a tragédia destas pobres gentes e desta Igreja dos mártires.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *