O Prémio írvore da Vida, atribuído pela Igreja Católica no IndieLisboa, foi entregue ao filme «Lacrau». Os jurados aplaudiram a «viagem espiritual» e «o poder evocativo do silêncio» do documentário de João Vladimiro
O Prémio írvore da Vida, atribuído pela Igreja Católica no IndieLisboa, foi entregue ao filme «Lacrau». Os jurados aplaudiram a «viagem espiritual» e «o poder evocativo do silêncio» do documentário de João Vladimiro O filme Lacrau, de João Vladimiro recebeu o Prémio Árvore da Vida, com que a Igreja Católica marca presença há quatro anos no IndieLisboa, festival internacional de cinema independente. a distinção, que privilegia os valores humanos e espirituais presentes nas curtas e longas metragens a concurso na Competição nacional, foi anunciada durante a cerimónia de entrega dos prémios da 10. a edição do evento, que decorreu no grande auditório da Culturgest, em Lisboa.
Os jurados enalteceram a viagem espiritual, a força da experimentação, o poder evocativo do silêncio e a estética narrativa sonora do documentário de 99 minutos, que também ganhou a secção da Competição nacional. Estamos muito preocupados com o dinheiro em geral, e espiritual’ é uma palavra interessante e calha-me bem, gosto, disse João Vladimiro ao receber o prémio no último sábado, 27 de abril.
a distinção, no valor de dois mil euros, resulta de uma parceria entre os secretariados nacionais da Pastoral da Cultura (SNPC) e das Comunicações Sociais. Segundo o SNPC, os membros do júri atribuíram também uma Menção Honrosa ao documentário Rhoma acans (2012), expressão romani que significa Olhos Ciganos, realizado por Leonor Teles, finalista de Cinema.