as «condições existenciais de pessoas» com deficiências vão estar em análise na primeira Jornada da Pastoral da Deficiência. Os participantes vão poder assistir a várias conferências, todas traduzidas em simultâneo para linguagem gestual
as «condições existenciais de pessoas» com deficiências vão estar em análise na primeira Jornada da Pastoral da Deficiência. Os participantes vão poder assistir a várias conferências, todas traduzidas em simultâneo para linguagem gestual a primeira Jornada da Pastoral da Deficiência vai decorrer dia 20 de abril, das 09h00 às 17h00, no anfiteatro São Tomás de aquino, da Faculdade de Teologia de Braga.organizada pelo Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência, em colaboração com a Universidade Católica Portuguesa (UCP) e com a arquidiocese de Braga, a iniciativa terá como tema Um tesouro a descobrir.

através desta jornada, os organizadores pretendem promover uma reflexão teológica e pastoral sobre as condições existenciais de pessoas com deficiência nos diversos contextos da vida da Igreja, explica um comunicado do serviço de comunicação da arquidiocese de Braga. O programa está dividido em duas partes: durante a manhã será discutida a capacidade de acolhimento da Igreja, enquanto a tarde está reservada para o acolhimento da pessoa com deficiência.

Entre os convidados estão Luís Miguel Rodrigues, sacerdote e docente da UCP, Isabel Costa, do Departamento arquidiocesano para os Bens Patrimoniais, e Telmo Fernandes, um advogado que aceitou partilhar a sua experiência de surdez, assim como outras pessoas que vão contar as suas experiências aos participantes. Para fomentar a participação ativa das pessoas com deficiência, todas as conferências serão traduzidas em simultâneo para linguagem gestual. Os interessados podem fazer a sua inscrição até dia 15 de abril.