O peditório da Cáritas, que decorre anualmente, registou este ano «um valor ligeiramente abaixo em relação ao valor do ano anterior». Contudo, a organização agradece aos portugueses e reconhece «as dificuldades e o empobrecimento geral da população»
O peditório da Cáritas, que decorre anualmente, registou este ano «um valor ligeiramente abaixo em relação ao valor do ano anterior». Contudo, a organização agradece aos portugueses e reconhece «as dificuldades e o empobrecimento geral da população»Em comunicado divulgado esta quarta-feira, 3 de abril, a Cáritas Portuguesa refere que o resultado do peditório público, que decorreu em Portugal de 28 de fevereiro e 3 de março, ficou abaixo da expetativa. Os mais de cinco mil voluntários que percorreram as ruas, comunidades paroquiais e diversas superfícies comerciais, angariaram 296 mil euros, um valor ligeiramente abaixo (cerca de um por cento) em relação ao valor do ano anterior.
No mesmo documento, a organização humanitária destaca que continua a acreditar na generosidade dos portugueses que se mostraram muito solícitos aos apelos dos voluntários mas reconhece como uma evidência as dificuldades e o empobrecimento geral da população.
aos voluntários que deram a cara por esta campanha, e a todos os portugueses que dentro das suas possibilidades deram o seu contributo, a Cáritas Portuguesa deixa o seu agradecimento. Inserida na Semana Nacional Cáritas, a iniciativa da organização da Igreja Católica decorre anualmente para angariar fundos que permitam dar resposta às solicitações de apoio social que chegam a cada uma das Cáritas diocesanas.
Dados de janeiro de 2013, registaram cerca de dez mil atendimentos, dos quais perto de dois mil foram novas situações. Entre as problemáticas atuais o destaque vai para as questões relacionadas com a habitação e o arrendamento. Em 2012, mais de 56 mil famílias pediram apoio à instituição e, a nível individual, registaram-se mais de 158 mil pedidos de ajuda em território nacional.