No site da aPaV está agora disponível o botão «Imigrantes e Discriminação», a partir do qual os internautas podem encontrar informação sobre crimes que podem afetar a população imigrante, como por exemplo a discriminação racial e os crimes de ódio
No site da aPaV está agora disponível o botão «Imigrantes e Discriminação», a partir do qual os internautas podem encontrar informação sobre crimes que podem afetar a população imigrante, como por exemplo a discriminação racial e os crimes de ódioO portal online da associação Portuguesa de apoio à Vítima (aPaV) tem agora disponível uma nova página dedicada à Unidade de apoio à Vítima Imigrante e de Discriminação Racial ou Étnica (UaVIDRE). a página contém informações sobre os tipos de apoio disponibilizados aos utentes e sobre crimes que afetam especialmente a população imigrante, como a discriminação racial, os crimes de ódio, o tráfico de pessoas e a mutilação genital feminina.
Em comunicado, a aPaV explica que existe ainda uma secção dedicada às perguntas mais frequentes sobre as temáticas ligadas ao trabalho da UaVIDRE, como, por exemplo, sobre a subtração de documentos dos cidadãos estrangeiros, os direitos de um cidadão estrangeiro vítima de crime, a saída de menores do território nacional e o acesso à saúde pelos cidadãos imigrantes.
Desde a sua criação, o número de pessoas atendidas pela UaVIDRE tem aumentado a cada ano: em 2005, foram registados 131 processos de apoio e, em 2012, foram 482. Este progresso significa que a unidade tem sido cada vez mais conhecida e considerada como um recurso efetivo de apoio pelas comunidades imigrantes e pelos grupos que são alvo de discriminação racial ou étnica em Portugal, destaca a aPaV.