a corrupção é como um cancro que debilita e se vai espalhando… O governo Moçambicano parece decidido a começar a combater algumas das expressões desde flagelo que impede o desenvolvimento.
a corrupção é como um cancro que debilita e se vai espalhando… O governo Moçambicano parece decidido a começar a combater algumas das expressões desde flagelo que impede o desenvolvimento. Nestas minhas pequenas intervenções a nota dominante tem sido aquela negativa. Porém para ser fiéis à verdade é necessário também fazer notar algumas novidades positivas.
O slogan contra a corrupção tem sido cavalo de batalha do actual governo de Moçambique. Tanto o presidente como o seu executivo têm falado contra a corrupção e defendido a necessidade de a erradicar do aparelho do estado.
Verdade é que não poucos defendem a ideia de que “não é possível combater a corrupção com corruptos”. as riquezas pessoais daqueles que se encontram nos lugares cimeiros do país, não deixam margens para dúvidas. a corrupção é, de facto, a maior dificuldade no processo de desenvolvimento da África e enquanto os “parceiros” não tomarem consciência e medidas concretas contra esta dificuldade, o desenvolvimento não poderá ser tão rápido quanto era de esperar. Pior ainda, não será para a totalidade da população, mas somente para um grupo de afortunados sem escrúpulos.
No entanto é necessário notar que, de facto, dalgumas partes começamos a receber sinais que podem ser considerados positivos e que abrem a possibilidade de mudanças futuras.
anotemos alguns destes sinais.
Há alguns meses atrás a Ministra da agricultura apareceu no noticiário a informar de algumas mudanças no seu ministério. Nos últimos anos grande parte das ajudas recebidas para o investimento na agricultura forma destinadas à compra de veículos, na sua maioria carrinhas todo-o-terreno (4×4). a ministra deu-se conta que a grande maioria destes veículos se encontrava deslocada à Cidade de Maputo. Certamente este é o progresso que os observadores estrangeiros notam. Em Maputo, além dos hotéis de luxo onde se albergam, existe uma grande frota de carros novos de grande cilindrada. Uma das medidas que a ministra prometeu tomar foi aquela de destacar estes veículos para as províncias de maneira a poderem de facto ser usadas no desenvolvimento da agricultura. Desta maneira os veículos deixariam de estar ao serviço dos interesses privados de alguns funcionários daquele ministério e passariam a ser usados para os fins para os quais foram comprados.
Pouco tempo depois desta notícia, um porta-voz do governo afirmou que o governo iria gastar menos em combustí­veis e viagens. Esta notícia tornou-se pública depois da longa campanha de viagens que o presidente realizou a todas as províncias do país para festejar a sua grande vitória eleitoral e pouco antes da notícia desastrosa do aumento do petróleo, que motivou dois aumentos consecutivos nos combustí­veis, que representam um aumento na ordem dos 40%, e faz desconfiar de outros aumentos para o futuro próximo).
Por último, no mês passado foi a vez do Ministro da Saúde admitir que nos hospitais se verificam graves irregularidade, tipo furto de medicamentos que posteriormente são inseridos no mercado, o costume de dar alguma coisa ao enfermeiro para poder ser atendido e muitas outras artimanhas que a mente humana inventa para poder angariar fundos. Também o ministro da saúde prometeu pôr cobro à situação e até já começou a mudar alguns dos directores.
Podemos perguntar-nos se de facto o combate à corrupção e ao oportunismo já começou e se estas medidas terão resultados positivos visíveis para o futuro.como alguém lá pela minha terra costumava dizer: “agora ainda não sei, mais tarde é que vamos ver”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *