«ó vós todos que passais pelo caminho, olhai e vede se há dor semelhante à minha dor!», pode ler-se no Livro das Lamentações (1, 12).
«ó vós todos que passais pelo caminho, olhai e vede se há dor semelhante à minha dor!», pode ler-se no Livro das Lamentações (1, 12). Só percorrendo o caminho que leva à cruz se chega à glória da vida nova da Ressurreição. Foi assim para o Senhor Jesus, é assim para quem Dele quer dar testemunho, e assim é mesmo para todo o ser humano.com uma lógica inabalável dizia Jesus: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, dia após dia, e siga-me (Lucas 9,23). Mas nós não devemos sofrer simplesmente porque queremos sofrer, porque temos devoção ao sofrimento. O sofrimento é ajuda para o aperfeiçoamento da nossa personalidade; é algo que nos leva a conhecer melhor o nosso Salvador, Servo Sofrente pela humanidade; é um meio para compreender e ajudar os nossos irmãos e irmãs que sofrem talvez muito mais do que nós, ou que não compreendem a razão do seu sofrimento. O sofrimento é também causa de purificação para o indivíduo que sofre e para a Igreja do mundo inteiro. Para quem tem fé, o sofrimento é um meio que nos leva a Jesus Cristo e à sua razão de ser. Num mundo em que há tanta dor, tantas dores causadas pelo pecado, especialmente o pecado do egoísmo, o cristão só o é sendo solidário com os que penam, pois Jesus Cristo veio ao mundo para se tornar solidário com todos os que sofrem no corpo ou no espírito, Cristo que por todos os que sofrem deu a sua vida. a Semana Santa torna-se santa para nós quando entramos em sintonia com o sofrimento de Cristo e com a glória a que esse sofrimento o levou e leva todos os seus discípulos e discípulas. E tudo isto porque Deus amou de tal maneira o mundo que deu o seu Filho Unigénito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3,16). Se na verdade, como diziam grandes filósofos, o homem é aquilo que pensa, a Semana Santa é um tempo para meditarmos muito em tudo o que Cristo padeceu por nós, em toda a dor que a humanidade lhe causou: não só para pensarmos no sofrimento como tal, mas para compreendermos o seu valor regenerativo. Mesmo se só por curiosidade, escutemos as palavras que o profeta põe na boca de Cristo: Ó vós todos que passais pelo caminho: olhai e vede se há dor semelhante à minha dor! (Livro das Lamentações 1, 12). Semana Santa: Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém; instituição da Eucaristia e do sacerdócio; paixão dolorosa, os passos do Senhor para o Calvário; crucificação e morte de Jesus na cruz; ressurreição gloriosa.com Maria, a Senhora do Pranto; com a Madalena, o Cireneu, a Verónica, as mulheres de Jerusalém e os outros que lhe mostraram o seu amor.como seremos nós capazes de amar a Deus e ao próximo? Mais do que com o nosso amor, amaremos com o amor que Cristo colocou nos nossos corações. Feliz Páscoa de ressuscitados” a todas, a todos!