Depois de um dia de eleições parlamentares relativamente calmo contam-se os votos. Resultados preliminares dão uma vitória confortável a um dos partidos dos antigos rebeldes hutu.
Depois de um dia de eleições parlamentares relativamente calmo contam-se os votos. Resultados preliminares dão uma vitória confortável a um dos partidos dos antigos rebeldes hutu. Os votos continuam a ser contados, depois das eleições de ontem, quatro de Julho. Um antigo grupo rebelde hutu, com o partido FDD, está em vantagem face ao partido do presidente Domitien Ndayizeye, também este hutu.
as eleições foram pacíficas e cerca de 65 por cento dos eleitores participaram. Os resultados finais devem ser divulgados ainda hoje. as eleições parlamentares fazem parte do esforço para com a guerra civil entre o exército controlado pela etnia tutsi e os rebeldes da maioria hutu.
Os novos membros do parlamento devem escolher um novo presidente em agosto, entrando em funções o primeiro governo eleito desde 1993, quando começou a guerra civil.
O partido tutsi melhor colocado encontra-se em terceiro lugar.
O FDD afirmou pretender combater a pobreza e promover a reconciliação, depois de anos de conflito étnico entre o exército, controlado pelos tutsies e os rebeldes hutu.
Carolyn Mcaskie, chefe da operação das Nações Unidas (ONU) no Burundi, disse à BBC que a participação não alcançou os 80 porcento das eleições locais de Junho, mas que foi uma participação “totalmente aceitável”.
as denúncias de fraude “não foram suficientes… para afectar o resultado”, disse numa conferência de imprensa. Considera encorajador que não haja queixas de intimidações.
Os locais de voto foram guardados durante a segunda-feira por forças de segurança locais e por tropas da ONU.
Muito do tempo pós-independência o controlo do país esteve nas mãos da elite minoritária tutsi. agora, depois de um processo de paz que dura já cinco anos, as pessoas estão a votar para eleger uma nova assembleia na qual o poder é partilhado. Quarenta porcento dos lugares parlamentares são reservados para os tutsi e 60 porcento para os hutu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *