De regresso a Portugal depois de três anos na Faraja House, em Iringa, na Tanzânia, Paulo e Teresa deram testemunho do seu trabalho na eucaristia dominical.

De regresso a Portugal depois de três anos na Faraja House, em Iringa, na Tanzânia, Paulo e Teresa deram testemunho do seu trabalho na eucaristia dominical.
Foi também uma eucaristia especial, presidida pelo missionário na Tanzânia, Casimiro Torres e contou com a presença do casal Paulo e Teresa, leigos missionários da Consolata, regressados depois de três anos, na missão de Iringa, também na Tanzânia.
Há três anos, precisamente no primeiro fim de semana de Julho, o casal de leigos recebeu o crucifixo missionário. Três anos depois, recém-regressados caminharam lado a lado com os jovens e rezaram. “Pelos meus meninos que deixei lá na Tanzânia”, disse Paulo, durante o momento da eucaristia que o casal deu testemunho do seu trabalho. Em Iringa eram responsáveis pela Faraja House que acolhe meninos de rua, na sua maioria órfãos e vítimas de Sida.
O casal foi pai e mãe, professor, irmão mais velho, amigo, nos últimos três anos destes rapazes. Teresa lembra simples coisas como ter uns sapatos que calçar. Paulo recorda o espanto dos miúdos em verem que o trabalho era partilhado em casa.
Essas alegrias bem como viver com o que é essencial deram grandes lições de vida ao casal. “O essencial, que é realmente essencial, nós Tínhamos. aprendemos a dar valor ao essencial”, diz em jeito de balanço.
Tocados por esta magní­fica experiência de missão, o casal de LMC não pretende ficar por aqui. a sua ligação à Consolata fica reforçada sendo também os LMC – Leigos missionários da Consolata responsáveis pelo acompanhamento dos JMC ” Jovens Missionários da Consolata.
O padre Casimiro Torres testemunhou algumas das dificuldades vividas, por exemplo o tempo gasto para fazer uma viagem de poucos quilómetros, bem como o trabalho de evangelização, ainda a dar os primeiros passos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *