Os ambiciosos objectivos de fazer chegar medicamentos para tratar a infecção com VIH e a Sida aos países em desenvolvimento podem não ser alcançados. Fica no entanto um desafio motivador para continuar.
Os ambiciosos objectivos de fazer chegar medicamentos para tratar a infecção com VIH e a Sida aos países em desenvolvimento podem não ser alcançados. Fica no entanto um desafio motivador para continuar.
Responsáveis da Organização Mundial de Saúde (OMS) admitiram que provavelmente não serão atingidos os objectivos de disseminação de medicamentos para a infecção com VIH. O objectivo era disponibilizar medicamentos para o tratamento da infecção com VIH a mais três milhões de pessoas até ao final do corrente ano.
No entanto, o objectivo proposto serve de catalizador ajudando a uma mudança de atitude. ao mesmo tempo a OMS prometeu que os esforços para continuar a melhorar o acesso a estes medicamentos.
Quando foi lançado o projecto “três por cinco” em Dezembro 2003 ” dar drogas para a Sida e a infecção com VIH a três milhões de pessoas até 2005 ” sabiam que era difícil. Nesse momento apenas 400 mil pessoas tinham acesso a esses tratamentos.
Dados publicados pela OMS em Janeiro mostrou que o número de pessoas cobertas pelo projecto tinha aumentado para 700 mil. “Vai ser extremamente difícil atingir o objectivo, mas vamos chegar a três milhões. a melhoria do acesso a estes medicamentos está a aumentar em todos os países do mundo”, disse Kim Jim, líder do projecto.
Para muitos países as grandes dificuldades têm sido a falta de coordenação estratégica para distribuir os medicamentos e a falta de pessoal para acompanhar os pacientes em tratamento. Também houve um aumento em espiral da procura de medicamentos anti-retrovirais, mais pessoas fazem o teste do VIH e mais recebem os potencialmente salvadores medicamentos.
Com o encontro do G8 em Gleneagles na próxima semana, a OMS espera que a promessa de 27 mil milhões de dólares, a ser investidos no tratamento do VIH entre 2005 e 2007, se faça realidade. as agências de ajuda alertaram que apenas metade do dinheiro necessário para este ano foi disponibilizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *