Como Cristo, o evangelizador, «agarrado por Cristo», deverá ser «pobre, humilde, despojado e ousado». E não poderá descansar enquanto o Evangelho não atravessar as pessoas e toda a realidade
Como Cristo, o evangelizador, «agarrado por Cristo», deverá ser «pobre, humilde, despojado e ousado». E não poderá descansar enquanto o Evangelho não atravessar as pessoas e toda a realidadeTerminou esta terça-feira, dia 12 de fevereiro, a 21a Semana de Estudos sobre a Vida Consagrada que reuniu mais de mil religiosas e religiosos no Centro Paulo VI, emFátima. O bispo de Lamego, antónio Couto, da parte de manhã, falou amplamente do perfil do verdadeiro evangelizador. Partindo de textos bíblicos do profeta Isaías, dos ensinamentos de Jesus e de São Paulo, antónio Couto traçou o perfil do consagrado e do evangelizador. Se o consagrado é uma pessoa totalmente dedicada a Deus, como Isaías o apresenta, a primeira nota do perfil do verdadeiro evangelizador é ser um homem ou uma mulher de Deus. Por outro lado, disse antónio Couto, o Evangelho é uma notícia boa e feliz vinda de Deus: uma notícia surpreendente, desconcertante e transformante. E o evangelizador deve ser alguém que se (nos) põe à escuta da paz, da bondade e da beleza da salvação que vem de Deus, não de nós. a missão do evangelizador não se limita às pessoas, mas diz respeito a toda a realidade humana: é encher a vida da cidade desta notícia fazendo-a transbordar para os outros. a grande notícia é Deus que, acolhido pelo evangelizador, deve transbordar para a cidade dos homens. São Marcos, no seu evangelho, continuou o bispo de Lamego, apresenta Jesus como o Evangelho de Deus. É o Evangelho em pessoa. O Reino de Deus não é uma ideia, é uma pessoa, Jesus. Jesus é ao mesmo tempo evangelho (boa notícia) e evangelizador. E avisou os participantes da Semana: Se eu não for evangelho, não serei evangelizador. Se o vivo, posso transmiti-lo. Paulo está na linha de Isaías e de Jesus, disse antónio Couto. Encontrado e atravessado por Cristo, é comunicador de Cristo. Foi agarrado por Jesus Cristo, que interrompeu o seu percurso e o conduziu para outro projeto. E concluiu: Quando Jesus irrompe na vida de alguém interrompe o seu percurso e encaminha-o para outros horizontes. O conferencista apresentou depois a metodologia de Paulo: maternal, paternal, personalizado e a tempo inteiro, como verdadeira metodologia para o evangelizador do nosso tempo. Quem como Paulo foi agarrado por Cristo a tempo inteiro deve dar-se a tempo inteiro. Paulo foi gerador de novos filhos para Deus. Se formos estéreis não poderemos ser pais nem mães. Nós temos que gerar filhos novos para Deus. a nova evangelização não é tanto fazer coisas, mas contar a história de Deus e rezar, prosseguiu antónio Couto. Concluiu dizendo que, tal como Cristo, como Paulo e como Isaías, o evangelizador deve ser atravessado por Cristo até ficar cristificado.como Cristo deverá ser pobre, humilde, despojado e ousado. E não poderá descansar enquanto o evangelho não atravessar as pessoas e toda a realidade: Indo por todo o mundo, anunciai o evangelho a toda a criatura.