E porque toda a experiência que vivi em Moçambique só faz sentido se partilhada, posso até dizer que vivi a fé no seu estado puro
E porque toda a experiência que vivi em Moçambique só faz sentido se partilhada, posso até dizer que vivi a fé no seu estado puroEm Moçambique vi(vi) muitas coisas boas. ali não há interesses escondidos, não há pessoas a reparar como as outras estão vestidas ou a comentar a vida alheia. Quando as pessoas vão para a missa, vão para um encontro sem barreiras com Deus através da fé pura e partilhada. Uma coisa que me impressionou bastante, foi mesmo o facto de cada missa dominical demorar por volta de três horas. São horas de comunhão com Deus através da oração, da dança, do canto, de uma entrega generosa e total. Em jeito de avaliação final, sinto saudades desse tempo vivido em missão. Reside em mim uma melancolia saudosa das pessoas, da sua fé, alegria e vivências. Foi uma fase feliz da minha vida. Uma fase que me ajuda a viver o meu presente com mais riqueza e ciente dos desafios que a fé me coloca constantemente. *Leigo Missionário da Consolata (LMC)