Há cinco anos foi beatificado o padre Marianito, pároco de uma pequena povoação nas montanhas de antioquia. a nossa correspondente conta-nos as mudanças que sofreu esta povoação nos últimos cinco anos.
Há cinco anos foi beatificado o padre Marianito, pároco de uma pequena povoação nas montanhas de antioquia. a nossa correspondente conta-nos as mudanças que sofreu esta povoação nos últimos cinco anos. Mariano de Jesus Eusse Hoyos, mais conhecido como padre Marianito, foi beatificado há cinco anos por João Paulo II. O acontecimento constitui um motivo de orgulho para os habitantes de angostura, sua terra natal, no norte do departamento de antioquia, Colômbia. Desde esse dia a população tornou-se diferente, já que foi forçada a adequar a sua infra-estrutura hoteleira, a modificar os acessos, a aumentar a oferta de restaurantes e de parques de estacionamento. Tiveram até de mudar algumas práticas da sua vida quotidiana para receber centenas de devotos.
Desde que o padre Marianito foi proclamado beato, angostura transformou-se. a afluência massiva de devotos tem aumentado, de modo especial aos fins-de-semana, semana santa e a nove de abril, comemoração da sua beatificação, último passo antes da canonização.
a actual Casa da Cultura converteu-se na sede onde se encontra o corpo exumado do padre Marianito. aí­ os fiéis encontram-se com os objectos que fazem parte da história do beato, a quem se atribui a protecção da povoação, que se mantém imune dos frequentes ataques terroristas de que outros Municípios de antioquia são vítimas.
O padre Marianito foi o modesto pároco desta povoação entre montanhas e ruas de paralelos, de 21 de Janeiro de 1882 até há sua morte, em 13 de Julho 1926. Na audiência que João Paulo II concedeu aos peregrinos que assistiram à sua beatificação, destacou que “a Colômbia alcançará a paz se respeitar, sempre e em toda a parte, o sagrado e inviolável direito à vida”. Ressaltou a figura do padre Marianito como um “dom de paz” e como exemplo para “serem cada vez mais conscientes de que a paz e o desenvolvimento integral e solidário devem caminhar permanentemente unidos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *