a instabilidade na Somália continua. Os diálogos de paz avançam no Quénia e no Iémen. apesar disso aumenta a instabilidade Política e o sentido de insegurança. O governo está dividido.
a instabilidade na Somália continua. Os diálogos de paz avançam no Quénia e no Iémen. apesar disso aumenta a instabilidade Política e o sentido de insegurança. O governo está dividido. O presidente da Somália, abdullahi Yusuf, tem estado a encontrar-se com o porta-voz do parlamento somali, Sharif Hasan Shaykh adan, na capital do Iémen, Sana. Não chegaram a acordo quanto à localização do governo.
O governo pretende ir para Jowhar, na parte central da Somália, enquanto não considera Mogadishu suficientemente seguro, mas o porta-voz insiste que deviam estar na capital. a Somália não tem um governo que funcione desde 1991, as 14 tentativas anteriores para por termo à anarquia falharam.
O Quénia, que há mais de dois anos acolhe os diálogos de paz, recentemente pediu aos exilados que voltem à Somália. O porta-voz e mais de uma centena de membros do parlamento, incluindo senhores da guerra, voltaram a Mogadishu, mas muitos outros, incluindo o presidente e o primeiro-ministro, recusam.
O presidente Yusuf é original da região de Puntland e não tem uma base de apoio em Mogadishu. Teme assim pela sua vida.
as conversações no Iémen cobriram também o envio de soldados de paz das Nações Unidas para a Somália de modo a impedir que as milícias armadas interfiram com a transição Política. Yusuf quer soldados de paz, mas adan afirma que não são necessários.
Em declarações à imprensa adan afirmou que considera que as negociações chegaram a um beco sem saída. Planeia agora reunir o parlamento em Mogadishu na próxima semana. Se metade dos 275 membros do parlamento assistirem, podem considerar um voto de desconfiança ao presidente, aumentando o conflito político.
O primeiro-ministro Mohamed ali Ghedi chegou a Jowhar no fim de semana e afirmou à agência de noticias reuters que o estavam a organizar tudo para ficar sedeados aí­. “O governo finalmente mudou-se para a Somália. Jowhar é a nossa base até que haja paz em Mogadishu”, disse.
No entanto acrescentou que era uma medida temporária dizendo que não têm intenção de mudar a capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *