O bispo da diocese de Portalegre e Castelo Branco visitou os feridos e os familiares das vítimas mortais do despiste de um autocarro na Sertã. Segundo o prelado, «há uma grande consternação e o ambiente é pesado» entre a população
O bispo da diocese de Portalegre e Castelo Branco visitou os feridos e os familiares das vítimas mortais do despiste de um autocarro na Sertã. Segundo o prelado, «há uma grande consternação e o ambiente é pesado» entre a populaçãoantonino Dias, bispo de Portalegre-Castelo Branco, encontrou-se esta segunda-feira, 28 de janeiro, com as famílias das 11 vítimas mortais, e com alguns dos feridos do acidente de autocarro que ocorreu no domingo, dia 27, próximo da Sertã. Estive hoje de manhã no Hospital de Castelo Branco para visitar os feridos internados, incluindo o motorista, e também estive com familiares dos falecidos, disse antonino Dias.
Em Portalegre há uma grande consternação e o ambiente é pesado, disse o prelado, que mencionou o caso de três casais em que morreram marido e esposa. aos familiares manifestei-lhes a minha comunhão na dor, no sofrimento e na fé. Os feridos estavam razoavelmente bem, referiu, citado pela agência Ecclesia.
Estamos muito unidos [às autoridades municipais], procurando todos ajudar a ultrapassar este momento difícil, disse antonino Dias. Os velórios vão decorrer em várias igrejas da cidade, adiantou o prelado, que terça-feira, dia 29, presidirá, pelas 10h00, à missa de corpo presente com a maior parte das vítimas mortais, que irá decorrer na sé de Portalegre.
a mensagem que antonino Dias pretende transmitir na missa de corpo presente será um apelo à esperança: com a morte a vida não acaba. É isso que fundamenta a nossa vida e o nosso caminhar. a vida e a morte são dois momentos correlativos. Encontrar-nos-emos um dia, todos.
O autocarro, de matrícula espanhola, transportava um grupo de 44 pessoas, e dirigia-se de Portalegre para São Paio de Oleiros, freguesia do concelho de Santa Maria da Feira, para visitar aquele que é considerado o maior presépio em movimento do mundo, tendo-se despistado e caído numa ravina, 200 km a nordeste de Lisboa. Dez das vítimas mortais moravam no concelho de Portalegre e uma residia em assumar, concelho de Monforte.