O povo estava na expectativa de saber quem era João. Muitos acorriam até ele para o ouvirem, outros eram por ele batizados nas águas do Jordão
O povo estava na expectativa de saber quem era João. Muitos acorriam até ele para o ouvirem, outros eram por ele batizados nas águas do JordãoO batismo de João era um apelo à conversão. Na verdade, o ritual de João não era algo de inédito naquele tempo, pois era usado por outros, sempre no mesmo contexto de purificação e de mudança de vida. João, a última etapa a presença de João e de Jesus neste episódio marca o fechar de um ciclo e o iniciar de um outro. Por um lado é a conclusão do antigo Testamento do qual João Batista é o representante, enquanto percursor do Messias. Por outro, Jesus mostra que algo de novo está para acontecer: Jesus é o realizar da promessa; aquele que o povo esperava é Jesus de Nazaré. Ele mesmo será o caminho, a verdade e a vida a seguir. Jesus, o solidário O batismo de João era para a purificação em vista de uma nova vida. Então a questão que se coloca é esta: porque é que Jesus quis ser batizado por João? É claro que Jesus não precisava de purificação. Certamente que a atitude de Jesus é uma atitude solidária. Jesus quis mostrar que para aceitar as suas propostas, era necessário passar por uma purificação que levasse a um desejo de iniciar um novo caminho. Sem esta etapa é impossível aceitar a novidade que Jesus veio trazer. as Escrituras demonstram isso muito bem, quando reparamos na disputa entre Jesus e as autoridade religiosas do seu tempo, que são acusadas de serem duras de coração. Jesus, o Messias Na segunda parte do Evangelho temos a chegada do Messias; se João recusa radicalmente ser o Messias, Jesus é apresentado claramente como tal. Tudo na cena é escolhido para que não restem dúvidas, Jesus é o Messias esperado. a pomba que desce do céu faz provavelmente referência ao Espírito de Deus que pairava sobre as águas no momento da criação, ou seja, estamos perante um novo momento criativo. Mas simboliza também o Espírito que inspirava os grandes profetas, chamados a ser voz de Deus. a voz vinda do céu confirma: este é o meu Filho, evocando o Servo de Jahwéh de que fala o profeta Isaías. É deste modo que o evangelista começa já a dar a conhecer qual será o estilo de Jesus, não de glórias, mas de humildade. Jesus, Filho muito amado a voz vinda do céu confirma que Jesus é o Filho muito amado do Pai.com o nosso batismo recebemos a purificação, mas também a certeza desta voz que nos confirma que somos os filhos amados de Deus. O batismo é a marca deste amor profundo de Deus por cada um dos seus filhos. Será que reconheço e respondo este amor?