O diálogo entre todos os setores da sociedade portuguesa é fundamental para gerar o consenso que o país precisa para ultrapassar a crise económica e social, defendeu esta terça-feira, em Fátima, o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa
O diálogo entre todos os setores da sociedade portuguesa é fundamental para gerar o consenso que o país precisa para ultrapassar a crise económica e social, defendeu esta terça-feira, em Fátima, o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa Estamos a entrar num ano a que alguns chamam de annus horribilis’ (ano horrível) e por isso é preciso transformar 2013 num ano de verdadeira solidariedade para chegarmos a bom porto e não perecermos na tempestade da crise, disse esta terça-feira, 8 de janeiro, o padre Manuel Morujão, porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP). Para o sacerdote, é fácil de ver na sociedade portuguesa a dificuldade em criar consensos, pelo que se torna urgente promover o diálogo entre todas as margens, desde a mais esquerda até à mais direita, desde o patronato aos sindicatos, da Igreja à sociedade civil. Dialogar é um verbo urgente, destacou. Na reunião de hoje, em Fátima, o Conselho Permanente da CEP decidiu dedicar as próximas jornadas pastorais, a realizar entre 17 e 20 de junho, à Organização da sociedade à luz da Doutrina Social da Igreja. Neste sentido, Manuel Morujão frisou a importância de se estabelecerem prioridades em torno do bem comum. Todos temos que estreitar as mãos para que haja soluções, para que haja mais solidariedade, para que se ajudem as instituições que ajudam os mais desfavorecidos. Se estas instituições não estivessem a funcionar numa linha do bem comum já tinha havido um naufrágio social, adiantou o porta-voz da CEP.